A VOZ DO CAMPO NO BEIRA RIO

A VOZ DO CAMPO NO BEIRA RIO

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

A VOZ DO CAMPO EM DOM PEDRITO

         No próximo sábado, 25 estaremos na 81ª Farm Show em Dom Pedrito debatendo as potencialidades regionais.
         Estarão conosco Jose Roberto Pires Weber Presidente do Sindicato Rural e produtores rurais.
         A Voz do Campo, todo sábado, das 8 as 10 da manhã com Marcelo Brum, a maior rede de rádios do agro.


Ouça na Internet - http://www.sorrisofm.com.br/nova/  

Jose Roberto Pires Weber Presidente do Sindicato Rural de Dom Pedrito uma liderança de credibilidade no agronegócio


A VOZ DO CAMPO EM DOM PEDRITO


terça-feira, 21 de outubro de 2014

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

ELEIÇÕES DA CNA

Mudança já
Foi o pedido de lideranças do agronegócio, em relação as eleições na CNA Confederação Nacional da Agricultura em que apenas os presidentes das federações votam, sem democracia alguma.
Tarso Teixeira Presidente do Sindicato Rural de São Gabriel e Vice Presidente da Farsul e Valdir Edemar Fries produtor rural do Paraná se manifestaram criticando fortemente as eleições da CNA no Programa A Voz do Campo
Vários produtores rurais de diversas regões também se manifestaram contra o sistema de eleições da CNA.

        Clic aqui e ouça a manifestação de Valdir Fries  do Paraná- http://www.hulkshare.com/radiocarazinho/valdir-edemar-fries-cna  


 Tarso Teixeira Presidente do Sindicato Rural de São Gabriel e Vice Presidente da Farsul

                                   Valdir Fries produtor rural do Paraná

domingo, 19 de outubro de 2014

A VOZ DO CAMPO NA 4ª FEIRA DO AGRONEGÓCIO EM MAÇAMBARÁ



                   No último sábado, 18  transmitimos o Programa A Voz do Campo em Maçambará na fronteira oeste do RS. 
Falamos das eleições na CNA (Confederação Nacional da Agricultura) e da nova tecnologia de irrigação da Fockink, com a participação de Aldérico Copatti Prefeito de Maçambará e produtor rural, Germano Geremia vereador, Nelson dos Santos Secretário de Agricultura e Presidente da Feira, Matheus Zimmer agrônomo e Bruno Rauber Gerente de Irrigação da Fockink.
               Telefone - Via telefone participaram do programa, Valdir Edemar Fries produtor rural de Itambé na região de Maringá no Paraná e Tarso Teixeira Presidente do Sindicato Rural de São Gabriel que falaram sobre as eleições da CNA, criticando fortemente a maneira como é conduzido o sistema de eleições da entidade.
Também partcipou falando por telefone com A Voz do Campo, a produtora rural Giseli Wenning da Agropecuária Sobradinho de Maçambará, um dos grandes investidores em rrigação no RS.
A Voz do Campo, todo sábado, das 8 as 10 da manhã com Marcelo Brum, a maior rede de rádios do agro.


   Marcelo Brum (no centro) comunicador da Voz do Campo que esteve no último sábado em Maçambará na fronteira oeste do RS
                                       Aldérico Copatti produtor rural e Prefeito de Maçambará

                                     Nelson dos Santos Secretário de Agricultura e Presidente da 4ª Feira do Agronegócio de Maçambará

                                     Vereador e produotor rural  Germano Geremia liderança política  da fronteira oeste do RS

                                        Adriane Scharam Vice Prefeita de Maçambará

                                     Bruno Rauber Gerente de Irrigação da Fockink 

                                         Matheus Zimmer agrônomo representante da Fockink na fronteira oeste do RS 

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

PRESIDENTE DO SINDICATO RURAL DE SÃO GABRIEL CRITICA FORTEMENTE ELEIÇÕES DA CNA


"Tá na hora dos nossos representantes marcar posição"

Tarso Teixeira Presidente do Sindicato Rural de São Gabriel que nesta semana publicou artigo na imprensa gaúcha criticando forte as eleições na CNA Confederação Nacional da Agricultura.

Leia o artigo de Tarso Teixeira publicado na imprensa gaúcha 

Tarso Francisco Pires Teixeira
Presidente do Sindicato Rural de São Gabriel
Vice Presidente da Farsul
Quando ela emergiu no cenário nacional com solidez intelectual, rápida capacidade de argumentação e clareza de princípios, Kátia Abreu foi saudada como um sopro de ar puro nos ambientes irrespiráveis do poder. Senadora pelo Estado do Tocantins, produtora rural e logo em seguida, presidente da Confederação Nacional da Agricultura, mostrou credenciais para ser a liderança natural de um liberalismo saudável, que não tinha (e ainda hoje não tem) representantes competitivos na esfera pública. Com ela, os produtores rurais passaram a ter uma líder à altura do tamanho do agronegócio na economia nacional, capaz de se articular não somente no âmbito classista, mas de se fazer ouvir também nos escalões da política.
Kátia Abreu travou lutas memoráveis contra a corrupção assombrosa do governo federal e suas tentativas de autoritarismo. Ficou na história a descompostura passada no ex-ministro do Trabalho e presidente do PDT, Carlos Lupi, pego em lambanças no ministério que faz exigências descabidas do empregador rural enquanto excluía deliberadamente a CNA do Conselho do Fundo de Amparo ao Trabalhador, que passou a operar além do limite da ilegalidade. Em todas estas ocasiões, Kátia Abreu se fez não somente voz dos produtores, mas de todos os brasileiros cansados da corrupção perdulária e da mão opressiva do Estado sobre o empreendedor.
Foi por isso que causou profunda consternação a mudança de rumos em sua trajetória política e sindical. Movida por ressentimentos menores, deixou o DEM, um partido com discurso liberal claro, e ingressou no PSD de Kassab, um partido que não era “nem de esquerda nem de direita, muito antes pelo contrário”. Dali foi um pulo para o PMDB e o governismo aberto e declarado, do qual o apogeu até agora foi conquistar a reeleição ao senado defendendo abertamente o voto em Dilma e no PT, fazendo-se aliada do MST e das ONG’s que a chamavam de “Miss Desmatamento”. Kátia Abreu, mais do que ninguém, sentiu o que é ser vítima da máquina petista de destruição de reputações, sendo acusada por eles de sonegação e trabalho escravo. Depois de decidir “dilmar”, as denúncias simplesmente sumiram.
Todo ser humano tem o direito de mudar de idéias e convicções. Kátia Abreu mudou de lado. Mas isso não lhe dá o direito de querer continuar ainda posando de defensora da livre iniciativa, menos ainda de querer, na surdina, retomar a presidência da CNA antes do segundo turno. Com qual intenção? Usar a corporação para tentar evitar a derrota anunciada do petismo? Não, senhora Kátia. A Kátia Abreu que um dia admirei, que um dia fez o prefácio de um dos meus livros, não existe mais. Esta imitação que anda por aí, posando de produtora rural enquanto defende os maiores inimigos da segurança jurídica e do direito à propriedade, não nos representa.


quinta-feira, 16 de outubro de 2014

A VOZ DO CAMPO EM MAÇAMBARÁ NA FRONTEIRA OESTE DO RS


No próximo sábado 18 de Outubro, das 8 as 10 da manhã estaremos ao vivo discutindo Irrigação e a Nova Tecnologia Supremo da Fockink na 4ª Feira do Agronegócio em Maçambará na fronteira oeste do RS.
Participação especial:
Nelson dos Santos - Secretário de Agricultura de Maçambará e Presidente da Feira
Bruno Rauber - Gerente de Irrigação do Grupo Fockink
Matheus Zimmer - Agrônomo da Agrotop Representante da Fockink na fronteira oeste do RS.

Ouça na Internet - http://www.sorrisofm.com.br/nova/